Engenho & Obra - Associação para o Desenvolvimento e Cooperação, ONGD
 
 

English  

Segue-nos

Entidade Formadora Certificada

 
E&O parceira do Evento: “LUSOFONIA(S)” Fundão – 9 a 18 JUN
 
E&O parceira do Evento: “LUSOFONIA(S)” Fundão – 9 a 18 JUN
 

A semana de 9 a 18 de Junho será no Fundão, uma SEMANA DA(S) LUSOFONIAS(S). Por iniciativa da Escola Básica dos 2º e 3º ciclos da Serra da Gardunha e da Academia de Música e Dança do Fundão. A E&O é um dos Parceiros deste Evento, tendo a responsabilidade da intervenção no dia de encerramento, 18 de Junho, com a organização de um Seminário sobre “Educação para a Cidadania Global”, que integra a exibição do Documentário “Viver Ao Sul”, um produto do Projecto “AO SUL…”, financiado pela Cooperação Portuguesa, através do IPAD e suportado num Consórcio entre a E&O e a AJPaz, com a parceria da ADRA – Angola e da Casa do Gaiato de Malange. O Documentário “Viver Ao Sul” foi filmado em Angola, na província de Malange, e no Município de Kalandula e apresenta-se como um instrumento relevante e facilitador da compreensão das realidades dos países “Ao Sul”, promovendo espaços de reflexão e de diálogo entre culturas e a criação de sinergias em prol da Educação para o Desenvolvimento e para a Cidadania Global.

Do texto de apresentação dos promotores da Semana da(s) Lusofonias(s), citamos: “ … encontrar pontos de contacto com instituições, Organizações Não Governamentais, gente da sociedade civil, escritores, gente da gastronomia, da música, da dança, do canto, do desporto, …, para que pudessem falar na primeira pessoa sobre o trabalho que é feito em Portugal e além fronteiras, unindo-os um factor: a língua portuguesa. Há, então, um conjunto de parceiros, vitais para a concretização desta semana: Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD); Instituto Marquês Valle Flor (IMVF); Vida; OIKOS; Engenho & Obra. Todos estes organismos aceitaram, desde a primeira hora, o desafio uma vez que a Escola deverá ser um dos pontos nevrálgicos para a tomada de consciência da diversidade de povos, de gentes, de problemas sociais, educacionais, ambientais, que urge resolver, nuns casos, e conhecer noutros. Só assim será possível trabalhar-se em prol da concretização dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).”

A E&O sente-se muito honrada pelo Convite dos promotores e irá procurar contribuir para que a Semana seja um sucesso, nomeadamente na promoção da “…consciência crítica dos alunos do Concelho do Fundão e, em particular, aqueles que frequentam o Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha e Academia de Música e Dança do Fundão.”, como é citado no texto de apresentação.

Do Programa do Evento, salientamos:

  • Dia da Cooperação
  • Recital de Poesia com ritmos santomenses, com a escritora Olinda Beja
  • Espectáculo de Poesia e Percussão “”Pedra Angular”(alunos do Agrupamento )
  • Recital “Mãe Preta”, pela mão da ESTE (Estação Teatral da Beira Interior)
  • Recital de piano e música brasileira com as pianistas Cristina Margotto e Florance Lobo
  • Concerto Final: coros e orquestras da Academia de Música e Dança do Fundão
  • Feira do Livro da Lusofonia (em parceria com a Biblioteca Municipal do Fundão)
  • Conversas com escritores do espaço lusófono: Augusto Carlos (Moçambique) e Prof. Luís Costa (Timor Leste)
  • Jantar gastronómico com sabores genuínos de Cabo Verde e S. Tomé e Príncipe (em parceria com a Escola Profissional do Fundão)

Citando de novo o texto de apresentação dos promotores: “… terminar-se-á o projecto com a exibição do documentário lançado a público no final de 2009, intitulado “Viver ao Sul”, da responsabilidade da Engenho & Obra – Associação para o Desenvolvimento e Cooperação, ONGD. Esta será uma via para deixar no ar a necessidade de desenvolver acções concertadas com vista à mudança da imagem do nosso Mundo, uma vez que, com este documentário, se pretende promover a participação da população portuguesa na construção de sociedades mais abertas, reflexivas e capacitadas para intervir conscientemente em prol de causas promotoras de Desenvolvimento Sustentável. Igualmente importante na harmonização dos povos, em especial destes que constituem o espaço lusófono, será a música e a preservação dos sons ancestrais de cada um destes povos. Isto será tanto mais enriquecedor quanto conseguirmos juntar-lhes o poder da palavra. “

 
2010-05-28
 
« Voltar