Engenho & Obra - Associação para o Desenvolvimento e Cooperação, ONGD
 
 

English  

Segue-nos

Entidade Formadora Certificada

 
MENSAGEM DO PRESIDENTE DA DIRECÇÃO PARA 2011
 
MENSAGEM DO PRESIDENTE DA DIRECÇÃO PARA 2011
 

Caras(os) Associadas(os),

Quero começar por desejar a todas (os), neste ano de 2011, as maiores felicidades pessoais e profissionais. Quero ainda formular votos de sucesso para a nossa Associação, numa situação deveras difícil, em Portugal e no Mundo, onde se assiste, dia a dia, a um assalto generalizado aos direitos daqueles que deviam ser mais protegidos, em termos individuais e sociais.

Entramos na recta final, para 2015. O compromisso assumido no ano 2000, por 189 Estados Membros, incluindo Portugal, no fórum da Nações Unidas, consubstanciado na Declaração do Milénio, está muito longe de ser cumprido. A erradicação da pobreza, o primeiro dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) é, neste momento, um mito. O que tem vindo a suceder, sobretudo desde 2008, com o agravamento da situação decorrente da designada crise financeira, é um esvaziamento da Ajuda Pública ao Desenvolvimento (APD). O relatório de 2010 do Comité de Ajuda ao Desenvolvimento (CAD) da OCDE, que trabalha para aumentar a eficácia dos programas de desenvolvimento internacional, revela que o “baixo desempenho de alguns grandes doadores significa que haverá uma grande quebra” e ainda que “… África, particularmente, deverá receber apenas cerca de 12 mil milhões de USD do aumento de 25 mil milhões de previsto”. O que assistimos, no final de 2010, é a um agravamento das condições de vida das populações mais desfavorecidas. As perspectivas para 2011, são de mais agravamento ainda.

Neste panorama, a acção das organizações da sociedade civil e, particularmente das ONGD, é cada vez mais importante. Primeiro, na denúncia pública das políticas de desenvolvimento. Segundo, na mobilização de esforços para que a sociedade civil seja capaz de encontrar respostas adequadas aos ataques sucessivos dos senhores do dinheiro. Finalmente, para que os programas de apoio ao desenvolvimento, sejam parte integrante do conceito “Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento”, o oitavo ODM.

A ENGENHO & OBRA conheceu, no final de 2010, os novos Corpos Sociais, aquando do processo eleitoral de Novembro passado. A nova Direcção Nacional, apresentou um programa para um mandato de 3 anos, assente numa meta concreta: alcançar a autonomia, para garantir a sustentabilidade da Organização e dos projectos de intervenção, em Portugal e nos países de língua portuguesa.
Este ano de 2011 será o quinto da existência da Associação. De acordo com o Plano Estratégico, aprovado na Assembleia-Geral de Dezembro, a Direcção Nacional irá concretizar uma série de iniciativas destinadas à celebração dos 5 anos. Irá ainda desenvolver os contactos para parcerias e protocolos necessários, para garantir a sustentabilidade da Organização. Este, um passo absolutamente decisivo, para que a E&O possa concretizar todos os projectos em que está envolvida e se venha a envolver.

Tal como há um ano atrás, renovo apelo à colaboração e participação. É fundamental para o reforço associativo, por um lado, a participação das(os) Associadas(os) nas reuniões de Núcleo e nas Assembleias-Gerais e, por outro lado, o pagamento regular e atempado das quotizações, a primeira das obrigações estatutárias.

Termino com um desejo expresso: que seja possível, daqui por um ano, dar conta de que, pelo menos, mais um Projecto foi coroado do sucesso que significou a construção do Centro Comunitário de Alto Balide, em Dili, Timor-Leste, facto que marcou em definitivo, o ano de 2010.

Para todas(os) um grande abraço solidário,
Alfredo Soares Ferreira

 
2011-01-03
 
« Voltar