Engenho & Obra - Associação para o Desenvolvimento e Cooperação, ONGD
 
 

English  

Segue-nos

Entidade Formadora Certificada

 
Fórum “Imigração vs Criminalidade – Políticas de Segurança”
 
Fórum “Imigração vs Criminalidade – Políticas de Segurança”
 

Nos passados dias 8 e 9 de Setembro, realizou-se mais um fórum subordinado ao tema: “Imigração vs Criminalidade – Políticas de Segurança”, organizado pela Casa de Moçambique.

O evento inseriu-se num ciclo de fóruns que se realizaram em vários pontos do pais, e que tiveram como finalidade:

  1. desmistificar a ideia de que a imigração está necessariamente associada a criminalidade –
    estudos e análises baseadas em estatísticas e indicadores sérios e fiáveis mostram que o imigrante não é mais criminoso que um cidadão de origem portuguesa: em condições idênticas a propensão para o crime é equivalente;
  2. discutir a eficácia das políticas adoptadas para o combate da criminalidade – das diversas intervenções retiramos a convicção que não basta a política do cacetete, mas que as políticas sociais e de educação para o desenvolvimento têm um papel preventivo e proactivo crucial neste domínio;
  3. afirmar a necessidade de novas estratégias para maior segurança dos cidadãos em geral, inseridos na actual conjuntura mundial.



Certos da abrangência e da relevância do tema, em que as soluções passam pela conjugação de esforços de todos os agentes sociais, apelou-se à envolvência de todos na iniciativa que é mais um de muitos passos no esforço de construir uma sociedade mais inclusiva e coesa.

Destaca-se também a participação de um importante leque de oradores e a sua diversidade em relação a extractos sociais e sectores de actividade que demonstram a importância de que se reveste toda a temática tratada. Realçaram-se também ‘na plateia’ a presença de vários dirigentes de associações e sindicatos dos serviços e forças de segurança, sindicatos dos professores, académicos e outras individualidades que enriqueceram o debate. A Engenho e Obra esteve presente representada por Maria Fernanda Gomes e Noémia Simões.

 
2009-09-10
 
« Voltar